Home Contactos
  • Facebook
Logo ASAE
    Logo MinEconomia
    banner de topo

    Cyclospora

    Cyclospora

    Cyclospora cayetanensis é um protozoário que emergiu na América do  Norte em 1996, causando mais de 2000 casos de infecção caracterizada por uma  diarreia cíclica e prolongada. Nos anos seguintes, outros surtos ocorreram e  foram atribuídos ao consumo de framboesas importadas da Guatemala.

    O  organismo é difícil de detectar e os factores que afectam a sua sobrevivência  permanecem pouco claros. A infecção causada por Cyclospora é endémica em vários  países em vias de desenvolvimento pelo que, antes dos anos noventa, a maioria  dos casos foi identificada em indivíduos que regressavam de países  tropicais.

    Actualmente, Cyclospora é responsável por cerca de  0,1% das doenças de origem alimentar nos Estados Unidos. 

    Características de Cyclospora

    Cyclospora é um género de protozoário pertencente ao filo  Apicomplexa. Muitas espécies deste género têm sido encontradas em  animais. No entanto, C. cayetanensis foi a única espécie encontrada em  humanos. O seu ciclo de vida completo ainda não é conhecido por completo, embora  se saiba que o parasita se multiplica no intestino delgado do hospedeiro.

    Transmissão de Cyclospora

    O ciclo de vida do parasita termina com a excreção de oocistos esféricos com  cerca de 8 a 10 micrómetro de diâmetro nas fezes. Uma vez no ambiente, os  oocistos necessitam de cerca de 12 horas para que ocorra a esporulação e assim  se tornem infecciosos (o oocisto infeccioso apresenta dois esporocistos, um  critério importante para a confirmação do parasita no ambiente ou nos  alimentos). Assim, a transmissão da infecção pessoa a pessoa é pouco provável.  Pensa-se que a principal via de transmissão dos oocistos infecciosos seja a  ingestão de água ou de frutos ou vegetais contaminados com efluentes  humanos.

    Alimentos em que a presença de Cyclospora é mais  frequente

    Cyclospora não se multiplica em alimentos mas sobrevive durante  longos períodos se as condições forem adequadas. Os principais surtos  documentados foram causados pelo consumo de frutos, nomeadamente framboesas,  saladas, manjericão e água. 

    Principais sintomas de infecção por Cyclospora  cayetanensis

    Os sintomas surgem entre 1 e 14 dias, na maioria dos casos pelo menos uma  semana, após o consumo do alimento contaminado.

    Os sintomas mais comuns  incluem diarreia aquosa, perda de apetite, perda de peso significativa, dores  abdominais, náuseas, vómitos e fatiga. Os sintomas podem diminuir e reincidir  durante algumas semanas a alguns meses, podendo nalguns casos ter consequências  fatais.

    O tratamento inclui, normalmente, a administração de  trimetoprim/sulfametoxazole durante sete dias.

    A evolução da infecção é  normalmente favorável embora tenham sido já relatadas algumas complicações  graves, nomeadamente síndroma de Guillain Barré (debilidade muscular que, por  vezes, conduz à paralisia) e artrite reactiva. 

    Grupos de risco

    Todas as pessoas podem contrair  a infecção por Cyclospora. A diarreia prolongada pode ser muito  debilitante para as crianças e para os imunodeprimidos.

    Prevenção da contaminação 

    Ao contrário do que se verifica com outros parasitas, o conhecimento sobre  Cyclospora é ainda muito limitado no que se refere, por exemplo, aos  métodos de detecção e à sua sensibilidade a desinfectantes. Existem, no entanto,  algumas práticas que podem ajudar a controlar Cyclospora ao longo da  cadeia alimenta, tais como a instalação de redes de saneamento de forma a  controlar a disseminação de oocistos no ambiente por efluentes humanos não  tratados; a utilização de água não contaminada na rega, na preparação de  pesticidas e na lavagem de frutos e de vegetais logo ao nível da produção  primária e do processamento, ou a inclusão de Cyclospora na análise de  perigos de planos de HACCP de algumas indústrias, por exemplo de tratamento e de  fornecimento de água, de preparação de frutos e de vegetais prontos a consumir  sem qualquer tratamento térmico, pode . 

    Bibliografia

    Centers for Disease Control and Prevention (1996) Outbreaks  of Cyclospora cayetanensis Infection-United States, 1996. Morbidity and  Mortality Weekly Report 45 (25) Jun 28 (http://www.cfsan.fda.gov/~mow/cyclospo.html)

    Dawson D (2005) Foodborne protozoan parasites. International  Journal of Food Microbiology 103: 207-227.

    Doyle E (2003) Foodborne parasites. A Review of the  scientific literature. Food Research Institute Briefings, Outubro 2003 (http://www.wisc.edu/fri/briefs.htm).


    Escola Superior de Biotecnologia
    Universidade Católica  Portuguesa

    • Reg 765 + Medidas Restritivas
    • Denúcias
    • Livro de Reclamações
    • Asae Topics in Other Languages
    • BCFT
    • FISAAE
    • Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA)
    • Simplex
    • EEPLIANT 2
    66