Home Contactos
  • Facebook
Logo ASAE
    Logo MinEconomia
    banner de topo

    Em que casos deve ser indicado o preço por unidade de medida?

    Em que casos deve ser indicado o preço por unidade de medida?

    Em que casos deve ser indicado o preço por unidade de medida?


    A forma, obrigatoriedade de indicação de preços dos bens e serviços colocados à disposição do consumidor no mercado é regulada pelo Decreto-Lei n.º 138/90, de 26 de abril, com as alterações introduzidas pelo Decreto-Lei n.º 162/99, de 13 de maio.



    »
       INDICAÇÃO DE PREÇOS


    Todos os bens destinados à venda a retalho devem exibir o respetivo preço de venda ao consumidor.

    • Entende-se por  preço de venda, o preço total expresso em moeda com curso legal em Portugal, devendo incluir todos os impostos, taxas e outros encargos que nele sejam repercutidos, de modo que o consumidor possa conhecer o montante exato que tem a pagar.


    Os géneros alimentícios e os produtos não alimentares postos à disposição do consumidor devem conter, também, o preço por unidade de medida1.


    Nos produtos vendidos a granel apenas deverá ser indicado o preço por unidade de medida.


    O preço da unidade de medida dos géneros alimentícios e dos produtos não alimentares pré-embalados refere-se à quantidade declarada.

    • Entende-se por preço por unidade de medida o preço total expresso em moeda com curso legal em Portugal, devendo incluir todos os impostos, taxas e outros encargos que nele sejam repercutidos.


    A indicação do preço por unidade de medida não é aplicável:

    • Aos géneros alimentícios e produtos não alimentares comercializados através de distribuidor automático;
    • Aos géneros alimentícios e produtos não alimentares comercializados à peça;
    • Aos pratos confecionados ou pratos a confecionar que se encontrem numa mesma embalagem;
    • Aos géneros alimentícios de fantasia;
    • Aos géneros alimentícios ou produtos não alimentares diferentes comercializados numa mesma embalagem;
    • Aos produtos não alimentares destinados a serem misturados para obter um preparado e colocados numa mesma embalagem;
    • Aos géneros alimentícios comercializados em embalagens até 50 g ou 50 ml ou com mais de 10 kg ou 10 l;
    • Aos géneros alimentícios ou produtos não alimentares dispensados da indicação de peso ou volume, nos termos da legislação em vigor;
    • Ao novo preço da unidade de medida dos géneros alimentícios facilmente perecíveis em caso de venda com desconto justificada pelo risco de alteração;
    • Aos géneros alimentícios e produtos não alimentares quando o seu preço for idêntico ao preço de venda.


    »   DEFINIÇÕES

    Para efeitos de determinar a forma de indicação do preço, importa ter em conta as seguintes definições:

    • Género alimentício ou produto não alimentar comercializado à peça - um género ou produto que não pode ser objeto de fracionamento sem que isso altere a respetiva natureza ou propriedades;
    • Género alimentício ou produto não alimentar comercializado a granel - um género ou produto que não é objeto de qualquer acondicionamento prévio ou que só é medido ou pesado na presença do consumidor final;
    • Género alimentício ou produto não alimentar pré-embalado - um género ou produto que é embalado fora da presença do consumidor, independentemente de ser inteira ou parcialmente envolvido pela respetiva embalagem.


    »   FORMAS DE INDICAÇÃO DOS PREÇOS

    O preço de venda e o preço por unidade de medida devem ser indicados em dígitos, de modo visível, inequívoco, fácil e perfeitamente legível, através da utilização das formas abaixo indicadas, por forma a alcançar-se a melhor informação para o consumidor, a saber:

    • Letreiros2;
    • Etiquetas3;
    • Listas4 - só devem ser usadas quando se torne materialmente impossível o uso de etiquetas ou letreiros ou como meio complementar de marcação.

    A indicação do preço deve ser feita na proximidade do respetivo bem ou no local em que a prestação do serviço é proposta ao público, de modo a não suscitar qualquer dúvida ao consumidor.

    Os bens ou prestações de serviço, vendidos ao mesmo preço e expostos ao público em conjunto, podem ser objeto de uma única marcação de preço.


    »   FISCALIZAÇÃO E COIMAS:

    A fiscalização e a instrução de processos de contraordenação, por não cumprimento das regras respeitantes à afixação de preços é da competência da ASAE, sendo competente para a decisão de aplicação de coimas o seu Inspetor-Geral. Estas coimas variam entre:

    • €249,40 a €3.740,98 se o infrator for pessoa singular, e

    • €2.493,99 a €29.927,87 se o infrator for pessoa coletiva.

     

    _________________________


    1  Artigo 3º - Unidades de medida de Referência:
    Relativamente aos géneros alimentícios, o preço da unidade de medida referir-se-á:
    a) Ao litro, no que diz respeito aos géneros alimentícios comercializados por volume;
    b) Ao quilograma, quando diz respeito aos géneros alimentícios comercializados a peso.
    2 - Relativamente aos produtos não alimentares, o preço da unidade de medida referir-se-á:
    a) Ao litro ou ao metro cúbico, para os produtos vendidos a volume;
    b) Ao quilograma ou à tonelada, para os produtos vendidos a peso;
    c) Ao metro, para os produtos comercializados com base no comprimento;
    d) Ao metro quadrado, para os produtos comercializados com base na superfície.
    Letreiro -  todo o suporte onde seja indicado o preço de um único bem ou serviço.
    3 Etiqueta - todo o suporte apenso ao próprio bem ou colocado sobre a embalagem em que este é vendido ao público, podendo, no entanto, ser substituída por inscrição sobre a embalagem, quando a natureza desta o permita.
    4  Lista - todo o suporte onde sejam indicados os preços de vários bens ou serviços.


     

    ASAEnews nº 103 - novembro 2016

     
    • Reg 765 + Medidas Restritivas
    • Denúcias
    • Livro de Reclamações
    • Asae Topics in Other Languages
    • BCFT
    • COMPETE 2020
    • FISAAE
    • Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA)
    • Simplex
    • EEPLIANT 2
    66