Home Contactos
  • Facebook
Logo ASAE
    Logo MinEconomia
    banner de topo

    Projeto CIGUATERA

    Projeto CIGUATERA

    Projeto CIGUATERA


    Encontra-se em desenvolvimento um projeto internacional de cooperação sobre intoxicação alimentar por ingestão de peixe contaminado por Ciguatoxina, envolvendo 13 organizações de 6 Estados-membros e a EFSA que assinaram um acordo-quadro de parceria, em 19 de abril de 2016, para a caracterização do risco de Ciguatera em intoxicações alimentares na Europa.

    Este Framework Partnership Agreement, com a duração de quatro anos, é o primeiro projeto internacional co-financiado pela EFSA, no qual a ASAE marca presença com a responsabilidade da estratégia Global de Comunicação em parceria com a AECOSAN - Agencia Española de Consumo, Seguridad Alimentaria y Nutrición, tendo a reunião de kick-off do projeto já decorrido em Madrid no passado dia 1 de junho.

     

     
    Projeto CIGUATERA


    A Ciguatoxina pertence ao grupo das toxinas-CTX e encontra-se em peixes que se alimentam de um microorganismo que produz esta substância tóxica, transmitindo-se aos humanos pela ingestão destes peixes associados a águas tropicais cujos habitats são sobretudo os recifes de coral.

    Os sintomas associados ao consumo de peixes afetados por esta toxina são diversos, desde perturbações gastrointestinais, neurológicas e até cardíacas.

    Os peixes contaminados por consumo de microalgas com esta toxina, podem ser encontrados principalmente nas águas quentes do Pacífico, Caraíbas e Oceano Índico. No entanto, como resultado do aquecimento global, foram recentemente identificadas toxinas do grupo-CTX em peixes na Europa.

     

     
    Projeto CIGUATERA


    Em 2004 foi detetado nas águas das Ilhas Canárias e Madeira, Gambierdiscus spp., responsável por ciguatera, havendo relato de surtos de intoxicação alimentar de ciguatoxina desde 2008 nestas Ilhas, razão pela qual além da ASAE, do IPMA - Instituto Português do Mar e da Atmosfera e do INSA - Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge como parceiros, ainda colaboram neste projeto o Parque Natural da Madeira e a Direção Regional das Pescas da Madeira.


    Novas descobertas sugerem que o microorganismo se encontra cada vez mais difundido no Mediterrâneo, sendo que a potencial expansão destas microalgas para novas zonas marítimas já representa um risco emergente.

     

     
    Projeto CIGUATERA


    Este projeto tem como principais objetivos, além do desenvolvimento de métodos analíticos de deteção de ciguatoxinas, determinar a verdadeira incidência de ciguatera na Europa, bem como as características epidemiológicas dos casos e, avaliar a presença de ciguatoxinas nos alimentos e no ambiente na Europa.

    Consulte ainda:  www.efsa.europa.eu/en/press/news/160420a



    ASAEnews nº 99 - julho 2016

     
    • Reg 765 + Medidas Restritivas
    • Denúcias
    • Livro de Reclamações
    • Asae Topics in Other Languages
    • BCFT
    • COMPETE 2020
    • FISAAE
    • Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA)
    • Simplex
    • EEPLIANT 2
    66